Uncisal cria grupo para discutir políticas afirmativas na instituição

Uncisal cria grupo para discutir políticas afirmativas na instituição

Eduardo Almeida

Com a proposta de promover um debate sobre os diversos tipos de discriminação, a Universidade Estadual de Ciências de Saúde de Alagoas (Uncisal) criou esta semana um grupo transdisciplinar que vai discutir políticas afirmativas na instituição. A ideia é envolver professores, técnicos e estudantes no combate ao preconceito.

A iniciativa é liderada pela Pró-Reitoria Estudantil, mas conta com a participação do Diretório Central dos Estudantes Nise da Silveira, de diretórios e centros acadêmicos, além do Coletivo BEE. Uma reunião ocorrida nessa segunda-feira, na sala de teleconferência, deu início às ações, que devem ganhar força com um novo encontro previsto para o dia 4.

“No próximo encontro, que vai acontecer as 17h da próxima segunda-feira, nós vamos começar a discutir ações concretas para combater o preconceito, sobretudo a LGBTfobia, dentro da Uncisal. Vivemos um novo tempo e precisamos discutir formas de superar o preconceito”, explica a pró-reitora Estudantil Mara Ribeiro.

Entre as atividades previstas estão oficinas, capacitações envolvendo estudantes e servidores, além de ações de caráter educativo. “Dois professores estão responsáveis por trabalhar esta temática com os estudantes, mas nossa proposta é fazer algo amplo, que leve informação para a comunidade acadêmica e, então, vá de encontro à discriminação”, frisa a pró-reitora.

De acordo com ela, o primeiro encontro surgiu a partir de uma demanda dos próprios estudantes, mas o tema deve contar com o apoio de outras pró-reitorias. “Nós contamos com o apoio do reitor e da vice-reitora e, sem dúvidas, à medida que as ações forem acontecendo, nós vamos envolver outras pró-reitorias e grupos dentro da universidade”, pontua.

Mara Ribeiro conclui convidando servidores e estudantes para participarem do encontro que acontece na próxima segunda-feira. “É fundamental a participação da comunidade acadêmica, porque estamos falando de um tema bastante importante”.

novembro 28, 2017 · Não é possível comentar
Publicado  em: banner, Noticias  Por: Eduardo Bruno Almeida dos Santos