Tecnologia e terceira idade: aprendizado que rejuvenesce

Tecnologia e terceira idade: aprendizado que rejuvenesce

 

Por João Roberto Andrade
Estagiário – Ascom Uncisal

 

Todas as quintas-feiras, o programa de extensão Universidade Aberta à Terceira Idade (Uncisati) da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal) reúne 25 idosos para a oficina de Redes Sociais e Tecnologias Móveis para o Idoso, ministrada pela professora Cynara Maria Santos.

Segundo ela, a ideia da oficina é incluir o idoso no mundo digital, já que a população está envelhecendo.

“Percebemos que era uma comunidade que necessitava de ser incluída digitalmente. A adesão é alta, e conta até com lista de espera. Hoje, as redes sociais deixaram de ser um modismo e se tornaram uma necessidade, uma nova forma de se comunicar. A gente percebe que mudamos a vida desses idosos com essa oficina, pois ela ajuda a resgatar a autoestima. Eles se sentem atualizados, podem tirar fotos e se comunicar mais com seus familiares, principalmente os que estão distantes”, afirma.

Para a professora Cynara, o smartphone deixou de ser apenas mais um objeto para os idosos, e se tornou um importante artefato de comunicação e interação para essa parte da população.

“Hoje, as redes sociais deixaram de ser um modismo e se tornaram uma necessidade, uma nova forma de se comunicar. Antes eles subutilizavam o aparelho. Agora os smartphones desses idosos se tornaram um meio onde podem compartilhar seu dia-a-dia. Isso ajuda a diminuir os índices de depressão eles”, relata.

APRENDER

Creuza Gomes Toledo, 79, é veterana, tendo participado da primeira turma de Redes Sociais, em 2015. Ela conta que aprendeu muito com as aulas e, após anos, sentiu saudades e decidiu retornar para a Uncisati.

Aluna Creuza Gomes utilizando seu smartphone durante a aula

“Achei que deveria voltar para aprender novas coisas, com novos aplicativos. Aprendi a enviar mensagem, efetuar pagamentos pelo celular, enviar fotos, mexer no Instagram etc. Tudo isso foi gratificante. Meu contato com meus familiares aumentou bastante”, conta.

Já Lucia de Fátima, 61, é uma novata. Participou do curso de meditação e conta que ficou encantada. “Vim através de uma colega minha. Eu não sabia muita coisa sobre redes sociais, e aqui nas aulas pude aprender muitas coisas. Para mim foi maravilhoso, cada dia aprendo algo a mais. Hoje aprendi sobre como enviar minha localização e colocar foto de perfil no Whatsapp”, disse.

Aluna Lúcia de Fátima (à direita) e seu monitor, Thales Luís (à esquerda), durante a oficina

 ENSINAR

A oficina possui 14 monitores, que se dividem em rodízios para acompanhar os idosos, e para ensinar um pouco a eles sobre as redes sociais.

Barbara Camila Barbosa, 26, acadêmica de Gestão Hospitalar, é uma das alunas da Uncisal que acompanham os idosos nas aulas.

Ela conta que o principal ensinamento é a interação que os monitores constroem com o público idoso. “Exercitamos a nossa escuta e a nossa paciência, pois cada um deles tem um ritmo diferenciado, por isso, à medida que nós ensinamos, temos um ensinamento muito específico para cada caso”, relata.

Monitora Bárbara Camila (de rosa) auxiliando as idosas na oficina

 

O graduando do 4º ano de Enfermagem,Thales Luís dos Santos, 20, conta que sua percepção sobre pessoas idosas mudou após participar como monitor nessa oficina da Uncisati.

“Nós aprendemos a ter um carinho a mais pelas pessoas da terceira idade. Além disso, trabalhamos a nossa capacidade de transmitir o conhecimento, e desenvolvemos áreas que não tínhamos explorado ainda. Levamos para nossa vida profissional uma mudança pessoal, pois o que para nós são pequenas coisas, para eles é uma grande descoberta. Isso nos transforma, renova nossas energias”, conta.

A OFICINA

As aulas ocorrem às quintas-feiras, das 14h às 16h, na sala 116 (localizada no primeiro andar do prédio sede da Uncisal). Há a entrega de certificados, bem como uma formatura para todos os formandos das oficinas que compõem a Uncisati.

Os idosos que queiram participar precisam se inscrever após a abertura do Edital, que ocorre todo início do ano. Já os acadêmicos devem se inscrever por meio do Edital de Monitoria, por meio da realização de uma prova.

 

Confira mais fotos na galeria abaixo:

abril 12, 2019 · Não é possível comentar
Publicado  em: banner, Noticias  Por: João Roberto Barbosa